Assinatura RSS

Arquivo do mês: maio 2017

Centrais sindicais convocam nova greve geral para final de junho

Publicado em

Data deverá ser definida na semana que vem. Dirigentes esperam movimento maior que o de 28 de abril. Comissão do Senado pode votar relatório da reforma trabalhista nesta terça-feira.

Paulo Pinto/FotospúblicasGreve geral

Terminal Parque Dom Pedro, em São Paulo, na greve de 28 de abril. Centrais prometem paralisação ainda maior

 

Vitor Nuzzi – da RBA

São Paulo – As centrais sindicais aprovaram nesta segunda-feira (29) a realização de uma nova greve geral, contra as reformas e o governo Temer, no final de junho, em data a ser definida, mas que ficará entre os dias 26 e 30 do mês que vem. Embora alguns defendam 48 horas, o mais provável é que seja escolhido apenas um dia. A decisão deve sair na próxima segunda-feira (5), quando os dirigentes voltarão a se reunir, em São Paulo. Eles prometem um movimento mais amplo que o registrado em 28 de abril.

Na tarde de hoje, representantes de nove centrais se reuniram na sede da CTB, na região central de São Paulo, para avaliar a marcha a Brasília na semana passada e definir as próximas ações contra as reformas. Para o presidente da UGT, Ricardo Patah, foi “o movimento mais forte e solidário da última década”, mesmo com ações de possíveis infiltrados durante o ato na capital federal. “Não podemos perder esse foco”, afirmou, ainda antes do final da reunião, referindo-se à tramitação das reformas da Previdência, na Câmara, e trabalhista, no Senado.

“Para nós, tudo começa e termina nas reformas, que têm rejeição de 90% da população”, reforçou o diretor executivo da CUT Julio Turra. Além da manutenção do “Fora Temer”, a preocupação é impedir a tramitação das propostas no Congresso, mesmo com uma possível saída do presidente, que poderia ser substituído em uma eleição indireta. “Aos olhos do mercado, Temer perdeu credibilidade”, avalia Turra. Por isso, as centrais, ainda que não de forma unânime, defendem eleições diretas.

A data exata da greve deve acompanhar o calendário das reformas no Congresso. “O consenso é que será maior que a de 28 de abril”, disse o dirigente cutista.

Para o presidente da CSB, Antonio Neto, o ato de Brasília mostrou que as centrais estão articuladas e unidas. “Foi uma das maiores manifestações que Brasília já viu”, afirmou. Segundo ele, este é o momento de mostrar quem tem “compromisso com a história do Brasil”.

O secretário-geral da CTB, Wagner Gomes, disse que os sindicalistas repudiam “a atitude da polícia e de pessoas infiltradas naquele movimento (de Brasília), que originou aquela praça de guerra”. Segundo ele, as centrais estudam acionar a Polícia Militar do Distrito Federal por causa do tumulto.

Além da nova greve, os sindicalistas mantêm as manifestações nas bases eleitorais de deputados e senadores. Algumas centrais deverão fazer ato diante do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na próxima terça (6), data prevista para o julgamento da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer.

projeto da reforma trabalhista (PLC 38) é o primeiro item da pauta da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado nesta terça-feira (30), a partir das 10h. Na semana passada, a sessão terminou com briga entre parlamentares. O presidente do colegiado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), deu como lido o relatório de Ricardo Ferraço (PSDB-ES) e concedeu vista coletiva, o que permite a votação do projeto. A oposição contesta. Duas senadoras, Gleisi Hoffman (PT-PR) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), apresentaram questões de ordem contra a tramitação.

Conjuntura – Temer partiu para o ‘tudo ou nada’; Lava Jato em baixa; o pacote de Greca contra o povo de Curitiba

Publicado em

Comentário semanal no blog O Gazeteiro, coluna ‘Café & Política’, aborda a tentativa desesperada do governo golpista pela sobrevivência. Temer partiu para o enfrentamento contra a Lava Jato e o procurador Janot. Também comentamos o isolamento crescente da Operação Lava Jato, comandada pelo juiz Moro. Além disso, de forma telegráfica, alertamos os vereadores sobre o nefasto pacote de desmonte de Curitiba, enviado para a aprovação da Câmara de Municipal. O pacote de ajuste penaliza os servidores e, se aprovado, vai sucatear os serviços públicos da cidade. Confira.

Política & Café

Ao vivo: Câmara analisa ‘projeto de desmonte de Curitiba’ do prefeito Greca

Publicado em

O pacote do prefeito Rafael Greca (PMN), se aprovado, representa um verdadeiro desmonte dos serviços públicos da cidade; além de ferrar a carreira e os salários dos servidores públicos da cidade. Um retrocesso sem tamanho. A pressão sobre os vereadores é fundamental para impedir a aprovação do desastroso projeto,  mal batizado de “Projeto de Recuperação de Curitiba”. Acompanhe a sessão ao vivo. Conteúdo compartilhado do Blog do Esmael.

 

Conteúdo compartilhado do Blog do Esmael 

O legislativo curitibano se prepara para votar, em breve, o pacote com 12 medidas fiscais do prefeito Rafael Greca (PMN).

Para os servidores municipais organizados nos sindicatos, trata-se de um “pacote de maldades” que penaliza a sociedade como um todo.

O vereador Goura (PDT) compara as maldades de Greca àquelas do governador Beto Richa (PSDB), que atacaram direitos e que redundaram no massacre de 213 professores no dia 29 de abril de 2015.

“O script é esse: o povo vai resistir e a Prefeitura de Curitiba vai reprimir para aprovar essas medidas de Greca”, prevê o parlamentar.

Grande ato no Rio reúne mais de 150 mil pessoas pelas Diretas Já

Publicado em

Lideranças sindicais, movimentos sociais, intelectuais, artistas e parlamentares se uniram em torno da PEC das Diretas, Fora Temer e contra reformas

 PT Nacional – Atualizado às 20h01
Caetano Veloso canta pelas Diretas Já para mais de 100 mil pessoas na praia de Copacabana

AO VIVO: Rio pelas Diretas Já! Assista aqui!

Lideranças sindicais e milhares de pessoas.  Dentre os artistas que participaram do ato estavam Caetano Veloso, Mano Brown, Milton Nascimento, Mart’nália, Teresa Cristina, Cordão da Bola Preta, Criolo, Otto, Mano Brown, Maria Gadú, BNegão dentre outros.

Os shows eram intercalados com discursos políticos que terminavam com os presentes gritando em coro “ Fora Temer” e “ Diretas Já”. Além de emocionante, o ato foi pacífico, bonito e democrático.

Vários parlamentares petistas marcaram presença no ato, incluindo o líder do PT na Câmara, Carlos Zarattini e deputados da bancada. O Senador Lindbergh Farias (PT-RJ) foi um dos que discursaram em nome do partido.

“Para aqueles que falam que não existe solução jurídica para fazer diretas, eu digo que isso é falso! Na terça-feira vamos votar na Comissão de Constituição e Justiça do Senado a PEC das Diretas. E já vamos mandar um recado para aquele Congresso: nós não vamos participar de nenhuma eleição indireta! Só o povo pode dar legitimidade a um novo presidente da República!”, discursou o senador.

O presidente do PT do Rio de Janeiro, Washington Quaqua, destacou a importância dos partidos se unirem em torno dessas pautas, pois apenas com as ruas e a união das legendas as diretas poderão ser aprovadas.

“Nós do PT queremos chamar a unidade com os partidos democratas, de esquerda, direta, mas que tenham compromisso com a democracia. É hora de construir uma ampla unidade em torno da luta e da greve geral para derrotar Temer e construir as Diretas Já. O povo quer um governo novo para fazer a reforma da mídia, a agrária e a tributária”, disse o dirigente.

O presidente da CUT, Vagner Freitas, afirmou que vai chamar greve geral caso as reformas continuem tramitando no Congresso.

“Não adianta o Fora Temer, mas manter as reformas. Por que a Globo golpista quer derrotar o Temer? Porque eles acham que o Temer não consegue aprovar as reformas, então eles querem colocar um golpista pior para acabar com nossa aposentadoria. Deixo um comunicado a todo o povo: se as reformas continuarem, já convoco os trabalhadores e trabalhadores a fazer a maior greve geral da história do país”.

Para Guilherme Boulos, dirigente do MTST e da Frente Povo sem Medo, o evento no Rio de Janeiro marca um início importante de um grande movimento nacional capaz de devolver a soberania ao povo brasileiro. Ele alertou para as movimentações de congressistas e partidos que querem eleger indiretamente um novo presidente.

“Não tem condição alguma de Temer continuar no comando do país, agora, como sempre, os abutres começam a se movimentar por uma transição por cima, que seriam as indiretas. Precisamos dizer que eleição indireta não é admissível. O Brasil não quer presidente biônico de novo!”

Artistas também pedem diretas

Vários artistas estiveram presentes no ato. Em todas as apresentações, os músicos pediram “Fora Temer” e chegaram a adaptar as letras das músicas para encaixar o grito de “Diretas Já”. Otto e Mart`nalia, por exemplo, levaram o público ao delírio quando mudaram as letras de alguns sambas e substituíram por”Fora Temer”.

O ator Wagner Moura, militante dos direitos humanos, conduziu parte do ato e também discursou. “A gente que lutou conta o golpe e que foi contra o golpe do ano passado estamos aqui para o segundo round dessa luta. Não é possível que Temer siga presidente.”

Cantora e atriz, Elisa Lucinda fez um pronunciamento emocionado em favor da soberania brasileira e dos direitos dos trabalhadores.

“Dirão para eu deixar de ser boba, porque desde Cabral todo mundo rouba. Eu digo que não, esse será meuCarnaval, só com o tempo a gente consegue ser ético e livre, e não admito que tentem tirar minha esperança. Não dá para mudar o começo, mas podemos mudar esse final.”

Veja fotos, vídeos e repercussões nas redes sociais:

Ver imagem no TwitterVer imagem no TwitterVer imagem no Twitter

Caetano Veloso comanda o palco do ao lado de Maria Gadú, Criolo e Milton Nascimento!

Fotos: Bruno Bou Haya | Diretas Já!

https://www.facebook.com/v2.5/plugins/post.php?app_id=477563158921841&channel=http%3A%2F%2Fstaticxx.facebook.com%2Fconnect%2Fxd_arbiter%2Fr%2F0F7S7QWJ0Ac.js%3Fversion%3D42%23cb%3Df252506673641c8%26domain%3Dwww.pt.org.br%26origin%3Dhttp%253A%252F%252Fwww.pt.org.br%252Ff3961722aeb084%26relation%3Dparent.parent&width=709&href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Ffundacao.perseuabramo%2Fposts%2F1453949461331621&locale=en_US&sdk=joey&width=709

O ator Osmar Prado fala em expulsar a quadrilha do planalto e restabelecer o Estado Democrático de Direito.

“Só as eleições diretas podem tirar o país desse buraco de ilegitimidade que a gente tá hoje”@gduvivier no

Antônio Pitanga, Bete Mendes e Osmar Prado participam agora de ato pelas Diretas Já em Copacabana.

Reitoria da Universidade Federal do Ceará conclama pela “vigilância em defesa da democracia, dos valores republicanos e dos direitos”

Publicado em

Reitorias de diversas instituições federais de ensino superior têm manifestado, nos últimos dias, preocupações com os rumos do país diante do agravamento da crise política e das ameaças crescentes ao pleno exercício das garantias do estado de direito. Notas e manifestos das autoridades universitárias de instituições de peso e tradição, como da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) ressaltaram a necessidade da defesa da democracia e dos valores republicanos. Trata-se de um amplo movimento sintonizado com os anseios da comunidade universitária, também mobilizada em defesa da missão institucional das universidades públicas de promover e defender o conhecimento, a pesquisa e a extensão. Nessa direção, também se pronunciou a Reitoria da Universidade do Ceará (UFC). Confira a íntegra do documento a seguir.

Imagem relacionada

 

NOTA DA REITORIA: Diante da crise, uma Universidade vigilante

Quinta, 25 Maio 2017 15:03

No momento em que profunda crise abala o País, comprometendo as estruturas do Estado Democrático de Direito, a Reitoria da Universidade Federal do Ceará conclama a comunidade universitária a se manter vigilante em defesa dos valores republicanos, da ética, dos direitos conquistados e dos avanços sociais contabilizados nos últimos anos e que ameaçam sucumbir.

Os sucessivos escândalos de corrupção, nos diferentes escalões do Poder, deitaram por terra a credibilidade de homens públicos e comprometeram, por completo, a legitimidade de seus atos no exercício do mandato popular. Lamentavelmente, a confraternização entre corruptos e corruptores, que a Nação – perplexa e indignada – tem testemunhado, acontece no momento mesmo em que se trama contra os mais legítimos interesses da classe trabalhadora.

Nas ruas e no interior do Congresso, recentes episódios de violência vieram somar novas preocupações, assinalando uma radicalização que não condiz com os valores democráticos, e que somente nos afasta daquela trilha capaz de nos levar a uma retomada segura do crescimento e a um resgate da dignidade nacional.

Enquanto isto, no ambiente universitário, observa-se uma escalada das restrições orçamentárias, que, a esta altura, já comprometem a prestação de serviços à sociedade e põem em risco o próprio cumprimento de nossa missão institucional nas áreas de Ensino, Pesquisa e Extensão.

O que desejamos é a entronização dos postulados éticos na seara pública; é a preservação incondicional da democracia brasileira; é a apuração de todas as denúncias, em todos os escalões da República, e a severa punição dos agentes envolvidos nas negociatas que, diariamente, vêm a lume. A Universidade continuará, por sua vez, sendo aquilo que sempre foi: um território onde se preservam ardorosamente as liberdades democráticas, os direitos individuais e coletivos, e onde prevalece um inabalável compromisso com a verdade.

Henry de Holanda Campos
Reitor

Na livraria Vertov, debate sobre o centenário da Revolução Russa neste sábado

Publicado em

A Livraria Vertov, com apoio do Circulo de Leituras d’O Capital, realizará no próximo dia 27 de maio, às 17h, o debate “Considerações sobre os 100 anos da Revolução Russa”, contando com os professores Claus Germer e Emmanuel Appel como palestrantes. O evento é parte de uma série de atividades que a Vertov estará realizando ao longo do ano de 2017 sobre o centenário.

A Revolução Russa foi um dos principais acontecimentos da história mundial e os seus desdobramentos marcaram definitivamente a humanidade nas lutas sociais e políticas, com influência marcante em amplas áreas do conhecimento e da cultura, como a economia, filosofia, sociologia, ciências físicas e biológicas, arquitetura, engenharia, design, cinema, fotografia, dança, música e tantas outras.
Palestrantes: Professor Dr. Claus Germer e Professor Emmanuel Appel
Hoje às 17:00 · Livraria Vertov
Rua Visconde de Rio Branco, 835, sobreloja – centro

ESPECIAL Cineblog – Revolução Russa de 1917: O trem de Lenin

Publicado em

O blog fará a exibição de uma série de filmes em comemoração ao centenário da Revolução Russa, de 1917, acontecimento que originou o primeiro estado operário da história. Os filmes serão apresentados sempre no fim de semana. A película ‘O trem de Lenin’, de duração de mais de 3 horas, narra a saga dos revolucionários russos em pleno desenrolar da 1° guerra mundial e dos acontecimentos que prenunciavam uma profunda viragem política no ex-império czarista. O filme – com honestidade para uma grande e plurinacional produção destinada ao mercado cinematográfico de massa – , retrata os bastidores da negociação dos bolcheviques com estado maior alemão sobre o trajeto do trem blindado, que partiu de Zurique (Suiça), atravessou o território alemão, até a Estação Finlândia, no coração de São Petersburgo, conduzindo Lenin e seus camaradas. O episódio teve grande significação política, pois reorientou a tática política dos bolcheviques frente ao governo provisório de Kerensky, com a publicação das chamadas ‘Teses de Abril’, que rompeu com a política de colaboração tácita do partido em relação ao governo; essa política conciliadora era conduzida pelos dirigentes kamenev e Stálin. A série de filmes conta com a consultoria do professor de filosofia da UFPR, Emannuel Appel, um entusiasta do movimento cineclubista no Paraná. (M.A). No link a seguir assista o filme (em espanhol).

Resultado de imagem para cartaz do filme el tren de Lenin

O ator Ben kingsley faz o papel de Lenin

Ficha técnica
TÍTULO: Il Treno di Lenin (O trem de Lenin)
DIRECTOR: Damiano Damiani
GUION: Damiano Damiani, Fulvio Gicca Palli, según la novela de Michael Pearson
MÚSICA: Nicola Piovani
FOTOGRAFÍA Sebastiano Celeste
NACIONALIDAD: Italia-Austria-Alemania-Gran Bretaña-España-Francia
AÑO: lançamento mundial em 1988
DURACIÓN: 3 horas 26 minutos
INTÉRPRETES: Ben Kingsley, Leslie Caron, Dominique Sanda, Timothy West, Peter Whitman, Xavier Elorriaga, Jason Connery.
%d blogueiros gostam disto: