Assinatura RSS

Arquivo do mês: abril 2015

Imagem do dia: O povo do Paraná de luto em defesa da democracia

Publicado em

Na manifestação promovida pelo estudantes nesta quinta-feira(30) no Centro Cívico a bandeira do Paraná foi baixada pelos manifestantes em sinal de luto pelo massacre dos professores. 

11163758_10200412970283593_5067449991795833302_n

Em Curitiba e no interior do estado estudantes realizaram atos de solidariedade aos professores e pedem punição para Beto Richa (PSDB)

Publicado em

Grupos de estudantes da UFPR e de escolas de ensino médio da capital realizaram um ato de solidariedade aos professores nesta tarde de quinta-feira(30) e pediram punição para Beto Richa. A manifestação organizada via redes sociais aconteceu na frente do Palácio Iguaçu. Em Londrina, Maringá e Paranavaí também ocorreram atos públicos.

Grupo se perfilou e depositou ao chão flores brancas como símbolo da tristeza (foto: Franklin de Freitas)

Estudantes paranaenses acabam de realizar um ato de luto em frente ao Palácio Iguaçu, sede do governo do Estado. Vestidos de preto, um grupo se perfilou e depositou ao chão flores brancas como símbolo da tristeza com os eventos da quarta-feira (29) quando professores e servidores estaduais foram reprimidos pela Polícia Militar do Paraná, que deixou mais de 200 feridos na Praça Nossa Senhora de Salete.

Desde o final da manhã, os estudantes fazem atos de apoio aos professores estaduais. Eles também prometem novas manifestações na sexta-feira (1) e na semana que vem.

*Com informação do Portal Bem Paraná

Beto Richa(PSDB) sofre um ‘impeachment moral’ com massacre dos professores no Paraná

Publicado em

A aprovação do confisco da Previdência na Alep no dia de ontem(quarta-feira 29), sob um clima de guerra, foi um acontecimento que marcará gerações no Paraná. O governador Beto Richa não só foi truculento, sobretudo, foi covarde e feriu o estado de direito democrático. Ele precisa ser sancionado.

beto

Governo Beto Richa: um “reinado” da violência, covardia e mentira

Uma espécie de ‘impeachment moral’ marca o governo Beto Richa neste momento. Amplos segmentos da sociedade repudiaram o grau de violência praticado contra os professores. O Paraná segue chocado com as cenas de barbárie.

É preciso alertar o país da gravidade dos tristes acontecimentos protagonizados por uma força policial desproporcional, agressiva, que atuou como tropa de combate, e não de dissuasão e contenção. O que se viu foi uma verdadeira batalha campal travada por um único lado: os das forças policiais de agressão.

Os professores e demais servidores presentes na manifestação foram agredidos de forma vil e covarde. Não havia a intenção de conter, o que havia, sim, era a determinação de bater, ferir e perseguir. É uma lenda, uma mentira deslavada, a ficção da presença de Black Blocs na manifestação, que transcorreu de forma pacífica o tempo todo.

A comoção que toma conta do Paraná e do país, com repercussão internacional, certamente, desperta as consciências e chama atenção para ação criminosa e nefasta do governo estadual. Mas é preciso ir além, apurar e responsabilizar o comando das forças policiais, determinar as medidas e sanções que a situação requer.

Todavia, o principal responsável é o governador do estado. Ele precisa responder como chefe do executivo sobre os crimes praticados nesta quarta-feira no Centro Cívico. O governador Beto Richa terá que responder nas esferas criminais e nas instâncias democráticas do estado de direito. Se o Paraná contasse com um parlamento independente, o impeachment era a solução legal e inconteste para o caso.

A mobilização e a pressão social deve exigir a sanção legal do governador Beto Richa.

Hoje manifestações espontâneas acontecem em todo estado, porém, as forças democráticas e progressistas do Paraná, as entidades de classe da sociedade civil, os movimentos organizados da população precisam convocar uma ampla manifestação e uma jornada de luta exigindo a punição do governador e de todos auxiliares envolvidos no massacre dos professores.

O governador Beto Richa inaugurou uma página infeliz da nossa História. E será cobrado por isso…

Massacre de Beto Richa(PSDB) deixa Paraná em estado de choque

Publicado em

Em todo o Paraná o assunto é único: o massacre ordenado pelo governador Beto Richa(PSDB) contra os professores. Uma violência insana e criminosa para conter uma legítima e pacífica manifestação. Nas ruas, escritórios, bares e redes sociais o repúdio é amplo, geral e irrestrito. O triste fato ganhou também repercussão nacional e internacional nesta noite de quarta-feira(29).

Via Carta Capital

Violência da PM deixa mais de 200 feridos no Paraná

Violência da PM deixa mais de 100 feridos no Paraná

Manifestante ferido por bala de borracha (Foto: Everson Bressan/SMCS)

A repressão da Polícia Militar do Paraná aos manifestantes que faziam ato nesta quarta-feira 29 no Centro Cívico, em frente à Assembleia Legislativa, em Curitiba, deixou ao menos 200 feridos, segundo o jornal Gazeta do Povo, sendo ao menos oito deles em estado grave.

A PM usou balas de borracha, bombas de gás lacrimogêneo e jatos d’água contra os manifestantes. Segundo o site Catve, de Cascavel (PR), ligado ao portal Terra, a PM usou cachorros contra a população e jogou bombas de gás lacrimogêneo a partir de helicópteros. Segundo a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), o cinegrafista Luiz Carlos de Jesus, da Band, foi atacado por um cão da PM da raça pitbull. Ferido na perna, teve de passar por uma cirurgia. Também segundo a Abraji, o fotógrafo Henry Milleo, da Gazeta do Povo, foi ferido em um dos braços e no abdome por estilhaços de uma bomba de efeito moral lançada pela PM contra os professores.

O Broadcast Político, serviço do jornal O Estado de S. Paulo, afirmou que 17 policiais militares foram presos por se recusar a participar do cerco aos professores em Curitiba.

Confira as fotos e vídeos:

Violência da PM deixa mais de 100 feridos no Paraná (6)
Manifestante ferido por bala de borracha (Foto: Everson Bressan/SMCS)
Violência da PM deixa mais de 100 feridos no Paraná (3)
A PM usou bombas de gás contra os manifestantes (Gabriel Rosa/SMCS)
Violência da PM deixa mais de 100 feridos no Paraná (4)
Ferido é atendido por paramédico após repressão policial (Gabriel Rosa/SMCS)
Violência da PM deixa mais de 100 feridos no Paraná (2)
Manifestante é atendida em Curitiba (Gabriel Rosa/SMCS)
Violência da PM deixa mais de 100 feridos no Paraná (5)
Ferido é retirado de ambulância (Gabriel Rosa/SMCS)

Na terça-feira 28, a PM já havia sido truculenta, ao usar spray de pimenta e bombas de efeito moral contra os manifestantes.

A História se repete: Massacre de Beto Richa 2015 – Massacre de Alvaro Dias 1988

Publicado em

11182157_1026894487338512_384039093123932426_n

Massacre dos professores: O “Vietnam” de Beto Richa no Centro Cívico

Publicado em

11162200_962271073813406_9065386394588728485_n

Centro Cívico, quarta-feira, 29 de abril de 2015

Fotos_que_cambiaron_al_mundo_Nina_Napalm_1

Vietnam, junho de 1972, o massacre de vietnamitas por tropas dos EUA

Confisco da previdência: Igreja pede fim da violência e diálogo com os professores

Publicado em

Arquidiocese de Curitiba manifesta preocupação com a repressão aos professores e servidores estaduais no Centro Cívico. Aparato policial é gigantesco, o uso de uma força que revela a pouca ou nenhuma disposição de diálogo do desgoverno Beto Richa(PSDB).

A greve dos professores da rede estadual de ensino e de outros setores do funcionalismo reivindica a retirada do projeto do executivo que confisca os fundos da Paranaprevidência, colocando em risco as pensões e aposentadorias de 200 mil funcionários estaduais. Esta é a segunda paralisação da categoria neste ano. A primeira durou 29 dias.

Confira a íntegra da nota da Arquidiocese:

“Nessa semana que antecede o dia internacional dos trabalhadores, as Pastorais Sociais da Arquidiocese de Curitiba vêm por meio desta manifestar a preocupação diante dos últimos fatos violentos ocorridos na Praça Nossa Senhora de Salette, no dia de hoje (28/04/2015), enquanto ocorriam as discussões acerca da aprovação, ou não, do Projeto de Lei nº 252/2015, que promove mudanças no Regime Próprio da Previdência Social dos servidores estaduais – a
Paraná Previdência.

Lamentamos profundamente os fatos violentos ocorridos nesta manhã e, à luz do Evangelho de Jesus Cristo, conclamamos todas as partes ao diálogo com respeito e busca da superação dos conflitos, a fim de que prevaleça a verdade. Que nenhum critério domine que não o da justiça!

Rogamos as bênçãos de Deus a fim de que se fortaleça e alimente em todos o respeito, o espírito democrático, o diálogo sadio, a opção radical pela não violência e a rejeição de qualquer truculência, a fim de que o Reino de Deus possa resplandecer em nosso Estado.”

%d blogueiros gostam disto: