Assinatura RSS

Arquivo do mês: agosto 2012

Eleições 2012: Fruet diz que oponentes querem “demonizar” aliança com PT

Publicado em

Do Blog da Joice

 

 

Este foi o alerta de Gustavo Fruet na noite de ontem, durante um jantar organizado por lideranças dos Correios, no bairro Santa Felicidade. “Enquanto tentam demonizar nossa aliança, não falam da falta de inovação e de projetos de vanguarda em Curitiba. Não explicam os sérios problemas na prestação dos serviços públicos, a falta de investimento no transporte público, as licitações do lixo e dos radares que não foram feitas, os atrasos na conclusão da Linha Verde, o enorme passivo que vão deixar para a próxima gestão. São estas questões que queremos discutir nesta eleição”, revelou. 

“Temos um prefeito que não consegue fazer nada sozinho e precisa ser levado pela mão do governador. Precismos mudar esta situação em Curitiba”, afirmou Mírian Gonçalves, candidata a vice-prefeita da Coligação “Curitiba Quer Mais”. O evento também contou com a participação dos candidatos a vereador do PT Pedro Paulo, Roni Barbosa e Roseli Isidoro. “Nossa coligação vai fazer o resgate ético e dialogar com o cidadão curitibano. O Gustavo tem a visão da mudança que deve ocorrer em Curitiba”, completou Isidoro.

Segundo Fruet, não se constrói um projeto político de forma solitária. “Nossa aliança é programática, foi decidida democraticamente em cada partido envolvido. Nosso plano de governo foi muito debatido. Estou em paz, pois constituí toda a minha trajetória pública de forma correta. Estão tentando banalizar a política, como se todos fossem iguais. Mas não são. Não envergonharei os eleitores quando for prefeito”, assegurou Fruet.

O candidato do PDT à Prefeitura de Curitiba lembrou que a política está virando uma disputa de gangues, um verdadeiro cartel formado por pessoas que só se preocupam com seus próprios interesses. “Estamos perdendo a capacidade de discutir o que é realmente importante para a cidade. Mas a população está mais atenta nesta eleição. Ela quer ver a transformação de Curitiba, quer ouvir e discutir propostas”, lembrou.

Fruet também reafirmou as principais ações de sua futura gestão nas áreas de educação, saúde e segurança. “A educação é o maior legado que iremos deixar para Curitiba. Será o maior aumento de investimentos na área entre todas as capitais do país, passando de 26% para 30% do orçamento municipal. Vamos trabalhar em uma grande parceria com o governo federal em nossos projetos na área da saúde e da segurança”, garantiu. Ele destacou, ainda, que seu governo na capital terá total abertura para diálogo e participação de entidades, associações e instituições como os Correios.

Resgate da Memória: Peça “Filha da Anistia” em Curitiba.

Publicado em

Depois de Florianópolis, chega em Curitiba a peça teatral “Filha da Anistia”,  que será exibida em cinco sessões seguidas de debate. As exibições ocorrerão no Teatro José Maria Santos, na Rua 13 de maio, 655 – São Francisco.

Programação
Dia 30/ago – quinta feira – 20hs
Dia 31/ago – sexta feira – 16hs e 20hs
Dia 01/set – sábado – 20hs
Dia 02/set – domingo – 20hs
Os ingressos estarão disponíveis para o público na bilheteria do teatro, sempre com uma hora de antecedência de cada sessão.
Vem, Curitiba!!!!

Publicado em

A  Comissão Nacional da Verdade confirmou sua vinda a Curitiba nos dias 12 e 13 de novembro, para a realização de uma audiência pública em que serão ouvidos ex-presos políticos e testemunhas de casos de violações dos direitos humanos no Paraná, particularmente durante os anos da ditadura militar.

Já foram realizadas audiências da Comissão Nacional da Verdade em vários estados brasileiros, como Goiás, Rio de Janeiro e Pernambuco. Os sete integrantes da Comissão pretendem nos próximos meses visitar todas as unidades da Federação.

O Fórum Paranaense de Resgate da Verdade, Memória e Justiça está organizando um levantamento dos casos, não apenas os ocorridos no Paraná, mas também aqueles em que cidadãos paranaenses foram vítimas, em outros estados e até mesmo no exterior.

Observatório dos Direitos Humanos do Paraná irá estudar violações no estado

Publicado em

 Via Gazeta do Povo   

Marcelo Andrade/ Gazeta do Povo

Marcelo Andrade/ Gazeta do Povo

Órgão lançado nesta terça-feira terá técnicos de instituições como UFPR, OAB-PR e MP para analisar com rigor científico as violações aos direitos humanos. Sede será no prédio histórico da UFPR, em Curitiba

ANDRÉ SIMÕES, ESPECIAL PARA A GAZETA DO POVO

Nesta terça-feira (28) em que se comemoram os 33 anos da aprovação da lei da anistia, Observatório de Direitos Humanos do Paraná foi lançado em Curitiba. A sessão aconteceu no prédio histórico da UFPR, que passa a sediar o núcleo de estudos. O objetivo da iniciativa é estudar as violações de direitos humanos no estado, começando sua pesquisa com o período da ditadura militar no país.

A ideia de fundar o Observatório veio de membros do Fórum Paranaense de Resgate da Verdade, Memória e Justiça, fundado em abril deste ano. Foi percebida a necessidade de dividir as atribuições. Enquanto o Fórum trata de aspectos mais amplos, o Observatório terá técnicos de diversas instituições (UFPR, OAB-PR, Ministério Público, entre outras) para analisar com rigor científico as violações aos direitos humanos, tabulando os resultados.

O Observatório terá duas frentes de pesquisa. A primeira estuda as violações aos direitos humanos ocorridas no Paraná durante o período do regime militar, enquanto a segunda buscará analisar as afrontas atuais.

A linha de estudos que investiga o período militar tem prazo estabelecido para sua atuação, até maio de 2014 – data marcada para a Comissão Nacional da Verdade, do governo federal, lançar seu relatório. Além de subsidiar a Comissão Nacional da Verdade, o Observatório também pretende colaborar com uma Comissão Estadual da Verdade, ainda a ser instituída. A secretária de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná, Maria Tereza Uille Gomes, esteve presente no lançamento e afirmou que o projeto que determina a criação dessa comissão deve ser enviado à Assembleia Legislativa na semana que vem.

Além de estudar o período militar, o Observatório terá uma linha de estudos permanente, buscando analisar as violações dos direitos humanos nos mais diversos âmbitos, incluindo os sistemas de saúde e prisional, e averiguando discriminações de raça e gênero. Para o procurador do Ministério Público do Paraná Olympio Sotto Maior, o observatório deverá auxiliar na identificação de casos concretos. “Não vamos nos resumir a fazer uma retrospectiva, mas também analisar problemas atuais e futuros. É um espaço importante para conjugar saberes”, disse.

O reitor da UFPR, Zaki Akel Sobrinho, distinguiu as atividades a serem feitas pelo Observatório do trabalho já realizado pelo Fórum. Segundo o reitor, com o Fórum se conseguiu dar visibilidade à causa dos direitos humanos e provocar discussões, enquanto o Observatório terá fins mais concretos de resgate histórico numa série de atividades acadêmicas. “Vamos colocar a mão na massa”, afirmou.

Eleições 2012: CUT lança plataforma eleitoral dos trabalhadores para Curitiba

Publicado em

Material reúne mais de 100 demandas da classe trabalhadora desde segurança público decente até economia solidária

por  CUT-PR

A Central Única dos Trabalhadores do Paraná (CUT-PR) lança nesta quarta-feira (29), às 14h, a sua plataforma para as eleições de 2012. O documento reúne 102 propostas efetivas da classe trabalhadora para os próximos quatro anos nos municípios do Paraná.

O objetivo é demonstrar claramente aos candidatos a cargos públicos nas eleições deste ano quais são as principais demandas necessárias para melhorar as condições de vida dos trabalhadores e trabalhadoras, bem como sugestões para impulsionar a economia.

Entre os eixos que compõem a plataforma estão políticas habitacionais, saneamento básico, educação, economia solidária, segurança pública, política industrial, o papel do servidor público, comunicação, agricultura familiar, entre outros.

O lançamento será realizado na Casa do Jornalista, em Curitiba, na Rua José Loureiro n 211, no Centro da capital.

Serviço:

Lançamento da plataforma das eleições 2012 de CUT-PR

Local: Rua José Loureiro, n 211, Centro – Curitiba.

Data: Quarta-feira, 29 de agosto

Horário: 14h

Eleições 2012: Enfrentar e derrotar o jogo sujo mobilizando a militância da campanha de Fruet

Publicado em

Panfleto apócrifo distribuído em bairros de classe média e alta da cidade

Lamentável! Novamente, o jogo sujo, a baixaria, começou na campanha para a prefeitura de Curitiba. O alvo é a campanha mudancista e renovadora da Coligação “Curitiba Quer Mais”(PDT-PT-PV), que tem a liderança do honrado e corajoso político Gustavo Fruet, formando a chapa majoritária com a petista Miriam Gonçalves.

Os ataques ao Partido dos Trabalhadores(PT) são permanentes e sistemáticos, movidos por forças conservadoras e de direita. Já é um método político utilizado em períodos eleitorais e fora deles. É um ódio mesclado com preconceito. A legenda paga um preço por sua opção preferencial pelo povo trabalhador e mais humilde.

Neste ano, Curitiba vive uma das campanhas mais disputadas das últimas décadas. O atual grupo dominante, com mais de vinte anos no comando da administração, padece de um medo crônico com a possibilidade de derrota. Move mundos e fundos, principalmente fundos, para alavancar a candidatura do atual prefeito. Ducci carrega o fardo do esgotamento de um modelo de administração, que estagnou e gerou impasses em setores essenciais da vida população. A cidade perdeu a capacidade de planejar e de inventar. Saúde, segurança, transporte urbano, habitação e gestão democrática do governo municipal demandam novas alternativas e visão renovada. É o que Gustavo Fruet defende e apresenta como proposta para o eleitorado.

A cidade quer mudança. As pesquisas de opinião atestam o desejo de renovação. A baixaria é uma expressão do desespero situacionista. Vamos intensificar a campanha e ampliar a mobilização da militância da coligação “Curitiba Quer Mais”. Ao mesmo tempo, vamos denunciar e demandar para os orgãos de controle os atos criminosos e de violação das regras da Justiça Eleitoral.

Fórum Paranaense de Resgate da Verdade e UFPR lançam Observatório dos Direitos Humanos

Publicado em

Será realizada nesta terça-feira (28/08), às 17 horas, a cerimônia de lançamento do Observatório de Direitos Humanos, núcleo da Universidade Federal do Paraná com apoio do Fórum Paranaense de Resgate da Verdade, Memória e Justiça. Sediado no Setor de Ciências Jurídicas da UFPR, o núcleo terá como objetivo relacionar situações envolvendo violação de Direitos Humanos sob os mais diversos aspectos, iniciando a pesquisa com o período da ditadura militar no país.

Integram o Observatório de Direitos Humanos professores do Setor de Ciências Jurídicas, além de estudantes pesquisadores. O núcleo terá várias parcerias externas e se propõe também a analisar situações atuais de Direitos Humanos, envolvendo regime prisional, diretos de grupos minoritários, entre outras questões.

Assinarão o protocolo de intenções o reitor da UFPR, Zaki Akel Sobrinho e representantes do Ministério Público do Paraná, OAB-PR, Central Única de Trabalhadores/PR, APP Sindicato e Unibrasil. O lançamento será na Sala da Memória do Setor de Ciências Jurídicas, localizada no Prédio Histórico, na Praça Santos Andrade.

Fonte: Fórum e Assessoria de Imprensa – UFPR

%d blogueiros gostam disto: