Assinatura RSS

Arquivo do mês: maio 2012

Internet cresceu 38% no Brasil em 2011

Publicado em

A presença de internet nos domicílios brasileiros cresceu para 38 por cento em 2011, ante 27 por cento em 2010, mostrou pesquisa do Comitê Gestor da Internet no Brasil divulgada nesta quinta-feira.

Além disso, o número de domicílios com computador no país cresceu para 45 por cento, ante 35 por cento no ano anterior, segundo a pesquisa.

O acesso à internet por meio de banda larga fixa ainda é o mais comum nos domicílios brasileiros, sendo encontrado em 68 por cento dos lares pesquisados.

Segundo a pesquisa, 17 por cento dos usuários de celulares acessam a internet por meio do aparelho, ante 5 por cento no ano anterior. O aumentou se deu principalmente entre os pesquisados que utilizam celulares pré-pagos.

A pesquisa foi realizada a partir de entrevistas presenciais envolvendo 25 mil domicílios no Brasil em áreas urbanas e rurais.

Fonte: Reuters

Opinião ## Gilmar Mendes, um político de oposição

Publicado em

 por Elói Pietá* -Via Site do PT

 

“Lula, como principal liderança do PT, teria todo direito de dizer ao ministro que fazer este julgamento antes das eleições é usar o processo como arma eleitoral”

A polêmica suscitada pelo ministro do Supremo, Gilmar Mendes, a respeito de recente encontro seu com o ex-presidente Lula, merece algumas considerações sobre os juízes e a política.

Os juízes tem muito poder, assim como os governantes e os parlamentares. E tem ideologia. Às vezes são mais elitistas, às vezes mais igualitários. Nos processos e nas sentenças eles expressam mais a técnica jurídica ou mais as suas convicções. Sempre haverá a presença dos dois.

Como tantos fatos demonstram, Gilmar Mendes é um magistrado tecnicamente preparado, mas profundamente político. Escolhido no governo do PSDB, seu lado sempre demonstrou ser de oposição ideológica ao PT. Entre as muitas relações políticas que cultivou na oposição, uma agora lhe é incômoda: Demóstenes Torres. Compartilhavam eventos familiares. Viajavam juntos no exterior. Juntos protagonizaram o anúncio de um suposto grampo telefônico, nunca comprovado, que levou à demissão de um por eles indesejado diretor da ABIN. Juntos tiveram na revista Veja seu prioritário canal de expressão midiática. Juntos se enganaram quanto aos amigos: Demóstenes diz que achava Cachoeira não mais agir na ilegalidade; Gilmar diz que achava Demóstenes uma pessoa diferente da que agora foi revelada.

Na versão da polêmica atual a respeito de seu diálogo com Lula, são dois contra um. O ex-presidente e o ex-ministro do Supremo, Nelson Jobim, negam a afirmação de Gilmar Mendes de que Lula sugeriu adiar pra depois das eleições o julgamento do chamado mensalão.

E, se Lula realmente quisesse dizer isso, qual o problema? Gilmar em nada dependeu ou depende de Lula. É ministro vitalício. Tem posições fortes. Lula, como principal liderança do PT, teria todo direito de dizer ao ministro que fazer este julgamento antes das eleições é usar o processo como arma eleitoral.

Expor um ponto de vista jamais tira a liberdade do julgador. É do cotidiano no Judiciário. É da natureza de qualquer instituição de poder receber pressões sociais nesta ou naquela direção. Vide a intensa pressão para o STF fazer este julgamento antes das eleições. A oposição nacional, em todos os seus matizes partidários e midiáticos, quer o julgamento agora. Para influenciar a seu favor o resultado eleitoral. Ao PT, obviamente, interessa o julgamento após outubro.

O problema então estaria em supostas insinuações de Lula de que o ministro poderia ser alvo na CPI de Cachoeira. Fato mais uma vez negado. Dois contra um. O ministro Mendes, conforme ele mesmo diz, relatou de imediato suas impressões da conversa a Agripino Maia, presidente do DEM. Evidencia-se que buscou guarida e conselhos no jogo político, que ele também joga. Tanto que foi compartilhá-la com um dos principais líderes da oposição, e não com seus colegas do Supremo. Quando resolveu, calculadamente, jogá-la a público, um mês depois, pelo canal oposicionista da Veja, certamente buscou tirar algum proveito político contra o PT ou para blindar preventivamente a si mesmo.

O ministro Gilmar Mendes afirmou que as pressões do PT para adiar o julgamento do mensalão seguem uma lógica burra, irresponsável, imbecil. Ao reverso dá para entender que, para ele, as pressões da oposição, em que milita, seguiriam uma lógica inteligente, responsável, esperta.

Na política, Gilmar Mendes tem lado. No Supremo, se inspira neste lado.

*É secretário geral nacional do PT

Imprensa de Curitiba registra colapso no sistema de saúde do município

Publicado em
Capa do jornal Metro Curitiba
Capa de hoje do Metro Curitiba
 
Diversos orgãos de imprensa da capital registram um colapso no sistema de atendimento da saúde do município. O médico Luciano Ducci, atualmente ocupando a prefeitura, não consegue encontrar uma solução para o grave problema, que afeta a vida de milhares de curitibanos.
 
Trata-se de mais um sintoma da fatiga e da falta de iniciativa do atual consórcio político-econômico que ocupa a administração da cidade por mais de vinte anos. É preciso mudar!

‘Cinema pela Verdade’ promove debate sobre a ditadura em 81 universidades do país

Publicado em

Até o dia 18 de junho, as principais universidades do país receberão a primeira edição do festival “Cinema pela Verdade”, iniciativa da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça que levará a 81 instituições filmes nacionais cujo tema seja o período do regime militar. As exibições são gratuitas.

A programação contempla longas de ficção e documentários como Condor (2007), e Hercules 56 (2006).

Após as sessões, será promovido debate com acadêmicos, pesquisadores, integrantes de movimentos sociais e culturais, além dos próprios diretores ou equipe de produção dos filmes.

O festival foi realizado pelo Instituto Cultura em Movimento (ICEM), selecionado pela II Chamada Pública do projeto Marcas da Memória, da Comissão de Anistia.

Clique aqui e veja a programação

Fonte: Blog do Ministério da Justiça

Opinião ## Privatizar espaços de cultura e lazer é um retrocesso social

Publicado em

Por André Machado*

O prefeito Luciano Ducci lançou edital de licitação para fazer a concessão/privatização da Ópera de Arame, da Pedreira Paulo Leminski e do Parque Náutico. São espaços públicos que deveriam ser revitalizados para servirem como instrumentos de incentivo à cultura, ao esporte e ao lazer da população de Curitiba, principalmente à juventude.

Ao invés disso, serão doados por 25 anos, provavelmente prorrogáveis por muitos anos mais, para que empresários ganhem dinheiro com o patrimônio público. Este fato deixa evidente que a privataria em nosso estado, tão em voga no governo de Jaime Lerner e freada pelo grande movimento popular contra a privatização da Copel, está ressurgindo com uma força que merece toda a atenção dos sindicatos da CUT e dos trabalhadores a eles filiados.

Dizer, como dizem alguns, que concessão não é privatização é querer fazer um jogo de palavras para tentar fazer o povo de bobo. As rodovias no PR estão “concedidas” há muitos e muitos anos e alguém dúvida que elas estejam privatizadas? É só ver como as concessionários usam e abusam do que lhes foi concedido, fazendo o que bem entendem e praticando as tarifas que são convenientes a uma alta taxa de lucro aos especuladores acionistas.

Como as concessionárias das rodovias, que pouco se importam com os efeitos sociais negativos dos altos custos dos pedágios, também as empresas privadas que abocanharem a Pedreira Paulo Leminski, a Ópera de Arame e o Parque Náutico, vão fazer destes equipamentos um meio de tirar todo o proveito financeiro possível, mesmo que para isso tenham, por exemplo, que cortar a meia-entrada de estudantes ou negar ceder o espaço para apresentações culturais ou treinos esportivos fora do seus padrões empresariais.

O leilão para a concessão está marcado pelo prefeito Luciano Ducci para o dia 04 de junho. Deste modo, torna-se urgente que os sindicatos, o movimento popular, as entidades de juventude constituam imediatamente um comitê amplo contras estas privatizações, visando mobilizar a população e tomar medidas para barrar este absurdo.

Como estamos em um ano eleitoral, não é possível que os candidatos postulantes a prefeito de Curitiba – e mesmo os candidatos a vereador – se omitam deste assunto. No caso dos candidatos a prefeito, não basta que se declarem contrários às concessões do atual prefeito. Isso é simples e pode ser interpretado como um mero jogo de desgaste do oponente. Por isso, é preciso mais. É preciso que se comprometam, desde já, de que se eleitos revogarão as concessões/privatizações, caso elas sejam efetivadas por Ducci. Se todos os candidatos fizerem isso vão colocar as empresas sobre o dilema de poderem vir a ganhar a licitação mas não terem tempo sequer para se apoderarem nem da Pedreira, da Ópera ou do Parque Náutico. É algo que pode desestimular aqueles que querem ganhar dinheiros com a apropriação destes patrimônios do povo de nossa cidade.

*É secretário de Imprensa e Comunicação Sindicato dos Bancários

**Artigo Publicado no Blog Cultura faz diferença

Bancada do PT registra moção de repúdio à ação judicial proposta pelo PSB contra a blogueira Thea Tavares

Publicado em

 Via Blog do Esmael

Thea Tavares: incomodando o consórcio

A vereadora Professora Josete (PT) assinou uma moção de repúdio à ação judicial proposta pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), do atual prefeito de Curitiba Luciano Ducci, contra a jornalista e blogueira Thea Tavares, do Blog Lado B. A moção foi assinada pela bancada do PT na Câmara Municipal e pelo vereador Paulo Salamuni (PV).

 “É impensável que em um momento em que tantas realizações importantes na área da informação, como a Lei de Acesso à Informação e a Comissão da Verdade, estejam se concretizando, um movimento de censura seja realizado pelo partido do prefeito”, lamenta a vereadora Professora Josete (PT).

“A Constituição de 88 garante a liberdade de expressão e de pensamento, e vetar isso a um jornalista é um erro muito grave”, disse.

A ação do PSB foi proposta perante a Justiça Eleitoral, e requer a retirada do conteúdo do blog do ar. Isso aconteceu depois de matérias que divulgavam os adesivos “Juntos – Ducci e Derosso 2012″, que estavam em circulação na cidade. O título “Juntos” foi usado em outras campanhas do mesmo grupo político no passado e atualmente pode ser visto em adesivos em alguns automóveis na cidade.

A moção reforça que o conteúdo veiculado pelo Blog Lado B não violou nenhum dispositivo legal e não cometeu nenhum tipo de crime. Vários outros blogueiros e jornalistas já se manifestaram contrários à ação do PSB.

3º Encontro Nacional dos Blogueir@s: “Nada além da Constituição”.

Publicado em

Via Blog do Miro

Confira a Carta de Salvador do 3º BlogProg

Ativistas digitais pela democratização da comunicação
 
A participação de quase 300 ativistas digitais de todo o país, no III Encontro Nacional de Blogueiro@s, realizado entre os dias 25 e 27 de maio em Salvador, na Bahia, consolidou o primeiro ciclo do mais importante movimento digital do Brasil, iniciado em agosto de 2010. Surgido como uma reação aos monopólios de mídia, que se baseiam num modelo usurpador quase que exclusivamente voltado à defesa dos interesses do grande capital em detrimento das aspirações populares, o movimento nacional dos Blogueiros e Blogueiras Progressistas desdobrou-se em inúmeros encontros municipais, regionais e estaduais, além de três encontros nacionais (São Paulo, Brasília e Salvador) e um internacional, realizado, em outubro de 2011, na cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná.Neste curto espaço de tempo, este movimento ganhou legitimidade política e enorme dimensão social. Foi capaz de influir fortemente no debate sobre a necessidade de se democratizar a comunicação no Brasil. Em suma, temos saído vitoriosos nesta guerra dura contra a mídia ainda hegemônica. Lutamos com as armas que temos, todas baseadas na crescente força da blogosfera e das redes sociais.

O principal reflexo dessa atuação, ao mesmo tempo organizada e fragmentada, tem sido o incômodo permanente causado nos setores mais conservadores e reacionários da velha mídia nacional, um segmento incapaz não apenas de racionalizar a dimensão do desafio que tem pela frente, mas totalmente descolado das novas realidades de comunicação e participação social ditadas, inexoravelmente, pelas novas tecnologias. Apegam-se, de forma risível, a um discurso tardiamente articulado de defesa das liberdades de imprensa e de expressão, conceitos que mal entendem, mas que confundem, deliberadamente, para manipular o público em favor de interesses inconfessáveis. Posam, sem escrúpulo algum, de defensores de uma liberdade que não passa, no fim das contas, da liberdade de permanecerem à frente dos oligopólios de comunicação que tantos danos têm causado à democracia brasileira. Para tal, chegam a pregar abertamente restrições à internet, apavorados que estão com a iminente ruína de um modelo de negócios em franca crise em todo o mundo, com a queda de tiragem da mídia impressa e da audiência da radiodifusão, com consequências diretas no processo de captação de receita publicitária.

Para tornar ainda mais nítida e avançada a discussão sobre a democratização da comunicação no Brasil, o III BlogProg decidiu concentrar suas energias, daqui em diante, em duas questões fundamentais.

A primeira é a luta por um novo marco regulatório das comunicações assentado em uma Lei de Mídia capaz de estabelecer formalmente a questão da comunicação como um direito humano essencial. Neste sentido, o III BlogProg decidiu interagir com a campanha do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC). Campanha esta que visa pressionar o governo federal, de modo a desencadear de imediato o debate sobre este tema estratégico para toda a sociedade brasileira.

A segunda batalha decisiva é a de reforçar a defesa da ação da blogosfera e das redes sociais diante do constante ataque de setores conservadores estimulados e financiados pela velha mídia. Trata-se de um movimento articulado, inclusive, no Congresso Nacional, com o objetivo de criar obstáculos e amarras capazes de cercear a livre circulação de ideias pela internet, além de criminalizar o ativismo digital. Em outro front, cresce a judicialização da censura, feita com a cumplicidade de integrantes do Poder Judiciário, utilizada para tentar asfixiar financeiramente blogs e sítios hospedados na rede mundial de computadores. Mais preocupante é o aumento de casos de violência contra Blogueiros e ativistas digitais em todo o país, inclusive com assassinatos, como no caso dos Blogueiros Edinaldo Filgueira, do Rio Grande do Norte, e Décio Sá, do Maranhão.

A nossa luta, portanto, não é a luta de um grupo, mas de toda a sociedade pela neutralidade e pela liberdade na rede. É pela implantação de uma cultura solidária e democrática do uso e da difusão das informações. É uma luta pela igualdade das relações desse uso com base única e exclusivamente no que diz e manda a Constituição Federal, a mesma Carta Magna que proíbe tanto o monopólio da comunicação como a propriedade de veículos de comunicação por parte de políticos – duas medidas solenemente ignoradas pelas autoridades, pelos agentes da lei e, claro, pelos grupos econômicos que há décadas usufruem e se locupletam desse estado de coisas.

Para tanto, este III Encontro adota – como norte para orientar a nova fase da luta – uma ideia simples e direta: Nada além da Constituição!

As bandeiras da liberdade de informação e de expressão, assim como a da universalização do acesso à banda larga, são nossas. Qualquer tentativa de usurpá-las – ainda mais por parte de quem jamais defendeu a democracia no Brasil – é uma manipulação inaceitável.

%d blogueiros gostam disto: