Assinatura RSS

Arquivo do mês: agosto 2011

1º Encontro Mundial de Blogueiros em Foz do Iguaçu. Confira programação

Publicado em

por Altamiro Borges

Clique na imagem para acessar a página oficial do Encontro Mundial de Blogueiros (27 a 29/10).

As novas mídias, com seus sítios, blogs e redes sociais, adquirem um papel cada vez mais relevante no mundo contemporâneo. As informações circulam online, contribuindo para democratizar a comunicação – seja nas revoltas do mundo árabe, na “revolução dos indignados” da Espanha, nos vazamentos do Wikileaks ou nas eleições que agitam vários países. A produção cultural e o entretenimento ganham maior difusão na web. A internet passa a fazer parte do cotidiano de bilhões de pessoas.

 Num curto espaço de tempo, esta nova ferramenta tecnológica mostra todo o seu potencial para o desenvolvimento – econômico, social e político. Ela coloca em xeque a chamada “velha mídia” – com a queda das tiragens dos jornais e a migração da audiência das TVs e rádios. O impacto já se dá inclusive no terreno da publicidade. Pesquisa divulgada em março mostra que nos EUA os anúncios na internet já superaram os investidos na mídia impressa.

Mais do que nunca é preciso valorizar as novas mídias. É urgente entender melhor este fenômeno e suas tendências; investir mais no seu florescimento e aperfeiçoamento. Há consenso de que elas contribuem para o avanço da democracia. Com este objetivo, a Associação Brasileira de Empresas e Empreendedores da Comunicação (Altercom) e o Centro de Estudos da Mídia Barão de Itararé, com o apoio institucional da Itaipu Binacional, promovem o 1º Encontro Mundial de Blogueiros, com o tema “O papel das novas mídias na construção da democracia”, de 27 a 29 de outubro de 2011, em Foz do Iguaçu, Paraná (BR).

Veja como ficou a programação:

Programação:

27 de outubro – quinta-feira:

17 horas – Início do credenciamento;

19 horas – abertura oficial com a presença de autoridades e promotores do evento;

28 de outubro – sexta-feira:

9 horas – Debate: “O papel das novas mídias”

– Ignácio Ramonet – criador do Le Monde Diplomatique e autor do livro “A explosão do jornalismo”;

– Kristinn Hrafnsson – porta-voz do WikiLeaks [*];

– Dênis de Moraes – organizador do livro “Mutações do visível: da comunicação de massa à comunicação em rede”;

* Mesa dirigida por Natalia Vianna (Agência Pública) e Tatiane Pires (blogueira do RS);

14 horas – Painel: “Experiências nos EUA e Europa”

– Amy Gooldman (EUA) – responsável pela rede Democracy Now;

– Pascual Serrano (Espanha) – blogueiro e fundador do sítio Rebelion;

– Richard Barbrooke – jornalista da Rússia [*];

* Mesa dirigida por Renata Mielli e Maria Inês Nassif.

16 horas – Painel: “Experiências na Ásia e África”.

– Ahmed Bahgat – blogueiro do Egito;

– Nadine Mo’wwad – blogueira do Líbano [*];

– Pepe Escobar – jornalista e colunista do sítio Ásia Times Online;

* Mesa dirigida por Sérgio Telles (blogueiro RJ) e Leandro Fortes (CartaCapital);

Dia 29 de outubro – sábado:

9 horas – Painel: “Experiências na América Latina”.

– Iroel Sanchez – blogueiro cubano da página La Pupila Insomne:

– Blanca Josales – secretária de redes sociais do governo do Peru;

– Martin Becerra – blogueiro da Argentina;

* Mesa dirigida por Sérgio Bertoni (blogueiro PR) e Cido Araújo (blogueiro SP);

14 horas – Painel: “As experiências no Brasil”

– Emir Sader – blogueiro e articulista do sítio Carta Maior;

– Luis Nassif – criador do blog do Nassif;

– Esmael Moraes – criador do blog do Esmael.

– Conceição Oliveira – criadora do blog Maria Frô e tuiteira.

* Mesa dirigida por Daniel Bezerra (blogueiro CE) e Altino Machado (blogueiro AC).

16 horas – Debate: A luta pela liberdade de expressão e pela democratização da comunicação.

– Paulo Bernardo – ministro das Comunicações do Brasil [*];

– Jesse Chacón – ex-ministro das Comunicações da Venezuela;

– Damian Loreti – integrante da comissão que elaborou a Ley de Medios na Argentina;

* Mesa dirigida por Joaquim Palhares e Altamiro Borges.

18 horas – Ato de encerramento.

– Aprovação da Carta de Foz do Iguaçu (propostas e organização).

[*] Os nomes com asterisco ainda não foram confirmados.

Público alvo

– Internautas dos EUA, Europa, Ásia e África – 20 participantes;

– Internautas da América Latina – 50 participantes;

– Ativistas digitais, jornalistas e estudantes brasileiros – 200 participantes;

Inscrições e estrutura do evento

As inscrições e acertos de viagem e hospedagem devem ser feitos no sítio do Encontro Mundial de Blogueiros. As vagas são limitadas e o prazo de inscrição se encerra em 20 de outubro.

Jogado na bacia das almas tucanas Derosso negocia renúncia

Publicado em

Ducci e Derosso: uma dobrada que virou suco. Foto: Denis Ferreira Neto.

Via Blog do Esmael

Tucanos de alta plumagem garantiram ao blog que interlocutores do Palácio das Araucárias e da Prefeitura de Curitiba negociam “secretamente” a renúncia do presidente da Câmara Municipal de Curitiba, vereador João Cláudio Derosso (PSDB).

Estrategistas tucanos temem que as denúncias contra o vereador tucano atinjam a imagem e candidatura do prefeito Luciano Ducci (PSB), candidato à reeleição em 2012.

Paralelamente às denúncias de irregularidades em contratos de publicidade da Câmara, motivo da instalação de uma CPI, deverá estourar nas próximas horas outra pancada em Derosso: a de que ele teria ligações com empresa que faz poda de árvores na capital.

Derosso, cada vez mais isolado, teme a CPI

Publicado em

 

Palácio Rio Branco, sede da Câmara Municipal,  já teve até cadeia pública no porão

A situação do ainda presidente da Câmara Municipal de Curitiba, o vereador tucano João Cláudio Derosso, cada vez mais isolado, caminha para uma nova etapa. Apesar do ‘rame-rame’ da Comissão de Ética da Câmara não foi possível abafar as maracatuias. Ao contrário, novas denúncias surgiram e a situação de Derosso ficou ainda mais complicada.

No campo político, Derosso foi abandonado pelos cardeais do partido. O governador Beto Richa faz um tour pelo exterior e as outras lideranças do PSDB assumiram um silêncio sepulcral sobre o rumoroso caso. Chama atenção a atitude do prefeito Luciano Ducci (Tucano do PSB) que foge de Derosso como o diabo foge da cruz. Derosso até bem pouco tempo era o mais cotado para ser o vice do atual prefeito Luciano Ducci nas eleições municipais de 2012.

Isolado e sem condições de explicar o imbróglio, que envolveu diretamente até a sua relação conjugal, o presidente da Câmara Municipal espera com temor a CPI.

É verdade que a CPI pode ser manobrada, mas também é verdade que a comissão pode evoluir para uma verdadeira investigação das licitações fraudulentas fabricadas pelo tucano. Ou seja, em uma CPI tudo pode acontecer. Além disso, as maracutaias suscitaram viva mobilização da sociedade e até animaram a esquálida oposição da Câmara.

Agora é preciso que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) seja instalada imediatamente. É sobre as irregularidades nos contratos de publicidade e na prática do nepotismo que a CPI deverá focar os seus trabalhos. Ao mesmo tempo, uma medida indispensável é o afastamento imediato de João Cláudio Derosso da presidência da Casa.

Da parte da sociedade, da opinião pública e dos movimentos sociais é continuar a mobilização para assegurar uma profunda e efetiva investigação, responsabilizando todos os envolvidos no esquema fraudulento de licitações, que causaram um rombo de quase 30 milhões no erário público.

Expedição do Grupo de Trabalho Araguaia encontra nova ossada na região da guerrilha

Publicado em
Via Portal Vermelho
Mapa do Ministério dos Transportes 
Buscas dos corpos dos guerrilheiros continuam na região
 
Constituído em 2009, o grupo criado pelo governo para tentar localizar restos mortais de desaparecidos políticos que atuaram na Guerrilha do Araguaia considera ter identificado seu principal achado na região numa expedição no início deste mês.

Os integrantes do Grupo de Trabalho Araguaia (GTA) recolheram uma ossada na entrada do cemitério de Xambioá, num local conhecido como Área do Cimento, onde foram desenterrados os dois únicos guerrilheiros identificados até hoje: Maria Lúcia Petit, em 1996, e Bergson Gurjão Farias, em 2009.

A expectativa do grupo é reforçada pela localização também, junto com essa ossada, de duas ampolas, com conteúdo líquido no interior, e um frasco. As ampolas são tratadas como evidências de que podem ser do pessoal da guerrilha porque era um grupo de guerrilheiros que cuidava da saúde da comunidade local. Todo esse material – incluídos os restos mortais – está em análise no Instituto Médico Legal (IML) de Brasília e na Polícia Federal.

O assunto está sendo tratado a sete chaves dentro do governo. A presidente Dilma Rousseff é avisada de cada passo da apuração. Integrantes do GTA confirmaram que se trata de um “achado relevante”, mas evitam declarações para não gerar expectativas em familiares daqueles ativistas políticos.

A hipótese que se trabalha é que as ampolas estariam em poder do suposto guerrilheiro localizado. Naquela época, em 1972, os primeiros comunistas mortos eram enterrados imediatamente, sem maiores averiguações. Era um período de confronto dos guerrilheiros com as primeiras levas de soldados. Não havia presença de equipes de inteligência.

Além da ossada e de todo o material recolhido, o que pode definir se, de fato, trata-se de um ex-combatente do PCdoB são os dados antropométricos, exames de DNA e histórico pessoal. Naquela região, o grupo da guerrilha atuou com 14 militantes, que podem até estar enterrados ali, conforme relatos históricos.

Diva Santana, da Comissão de Mortos e Desaparecidos e representante de familiares no grupo, afirmou que os restos mortais encontrados são evidências fortes, mas que precisam ser investigadas.”São dados fortes. Trata-se de restos mortais do período da guerrilha e que foram encaminhados para exame pericial. É preciso aguardar a investigação”, afirmou Diva.

Criado como Grupo de Trabalho Tocantins (GTT), a expedição, a partir deste ano, mudou de nome e passou a se chamar Grupo de Trabalho Araguaia (GTA). A coordenação, antes restrita ao Ministério da Defesa, passou a ser também do Ministério da Justiça e da Secretaria de Direitos Humanos. A formação do grupo e a busca de informações sobre os paradeiros dos desaparecidos se deram após uma determinação judicial da juíza Solange Salgado. Nesta segunda-feira, iniciou-se a oitava expedição desse grupo ao Araguaia, desde 2009.

Fonte: O Globo

Semana de mobilização popular em Curitiba. Upe, App e sindicatos. Confira e participe!

Publicado em

 

Upe convoca ato pela educação e contra a corrupção #ForaDerosso, vereador (PSDB) e presidente da Câmara Municipal, que comandou licitações fraudulentas que beneficiaram a empresa de propaganda da sua mulher, um rombo de mais de 30 milhões.  Concentração dia 31/08 às 09hs na Pça. Santos Andrade

APP-Sindicato convoca Paralisação estadual dia 30/08  – Em defesa da Educação
galeria
Manifestação em 30 de agosto de 88 dos professores reprimida brutalmente pelo então gov.  Álvaro Dias – hoje senador pelo PSDB
Local e horário da concentração: Praça Santos Andrade, às 09h
 
Resgatar a memória da luta contra a privatização da Copel contribui para manter a mobilização e a vigilância aos intentos e projetos privatizantes do gov. Beto Richa (PSDB).  
 
O evento 10 Anos da Luta Contra a Venda da Copel irá relembrar a mobilização de entidades, dos movimentos sociais e da sociedade contra a privatização da Companhia Paranaense de Energia (Copel). Será realizado no dia 01 de setembro de 2011, quinta-feira, a partir das 19 horas, no Espaço Cultural dos Bancários.O evento terá um ato com a participação de personagens desta história, seguido de debate em memória dos 10 anos desta luta, que no ano de 2001 mobilizou diversas entidades, evitando a privatização de mais este patrimônio do Estado do Paraná.

A iniciativa é do Fórum Popular Contra a Venda da Copel, da Central Única dos Trabalhadores (CUT-PR), do Sindicato dos Bancários de Curitiba e região, do Sindicato dos Engenheiros do Paraná (Senge-PR), do Sindicato dos Servidores do Judiciário do Paraná (Sindijus-PR) e da União Paranaense dos Estudantes (UPE).

Chile:tensão nas grandes alamedas, tensão na memória

Publicado em

Via Carta Maior

O governo chileno acaba de divulgar uma nova cifra oficial dos mortos e desaparecidos durante a ditadura do general Augusto Pinochet, que durou de 1973 a 1990: 3.065. Com isso, o total de vítimas – entre presos, seqüestrados, torturados, executados e desaparecidos – chega a exatos 40.018. O anúncio coincide com um período de profundas turbulências enfrentadas pelo primeiro presidente de direita eleito desde o fim da ditadura.

Eric Nepomuceno

Como se fosse preciso atualizar a contabilidade do horror, o governo chileno acaba de divulgar uma nova cifra oficial dos mortos e desaparecidos – um neologismo criado na América do Sul para se referir aos assassinados pelo terrorismo de Estado cujos cadáveres sumiram para sempre – durante a ditadura do general Augusto Pinochet, que durou de 1973 a 1990: 3.065. Com isso, o total de vítimas – entre presos, seqüestrados, torturados, executados e desaparecidos – chega a exatos 40.018. Não são contabilizados os exilados, nem os familiares das vítimas.

O número aparece no relatório de 60 páginas entregue ao presidente Sebastián Piñera na quinta-feira, 18 de agosto, por uma comissão integrada por advogados e especialistas em direitos humanos que trabalharam durante um ano e meio com rigor extremo. Tão extremo, que associações de vítimas e familiares protestaram de maneira contundente: dizem ser impossível que, de um total de 32 mil novas denúncias, apenas 9.800 tenham sido consideradas válidas.

O primeiro levantamento sobre vítimas da ditadura chilena começou a ser preparado em 1991, quando foi criada a primeira Comissão da Verdade e Reconciliação. O chamado “Relatório Rettig” limitou-se a contabilizar execuções e desaparições, e chegou a 2.279 pessoas. Em 2003 foi criada a Comissão Valech, que leva o nome do valioso bispo católico que moveu céus e terras para chegar à verdade sobre o terror dos tempos de Pinochet. O objetivo da comissão era ampliar o exame do horror. Num primeiro relatório, chegou-se a 28.459 casos de prisões ilegais, tortura, execuções e desaparecimentos. O religioso morreu durante o trabalho do grupo, que pediu mais prazo para chegar a um segundo relatório – esse, cujos resultados foram agora divulgados de maneira discretíssima pelo governo.

O tema é perigoso porque ainda paira entre os militares chilenos um incômodo mal-estar provocado por esse mergulho no passado sombrio do país. E também porque o anúncio coincide com um período de profundas turbulências enfrentadas pelo primeiro presidente de direita eleito desde o fim da ditadura. Os protestos dos estudantes que se repetem há quase quatro meses desgastaram de maneira cruel a imagem de Piñera. Não há solução à vista, e cresce a cada semana o apoio de amplos setores da população às reivindicações dos jovens, que agora marcham acompanhados por professores, funcionários públicos, donas de casa, profissionais liberais e trabalhadores.

Exigem educação pública gratuita (no Chile, as universidades públicas passaram a cobrar mensalidade na ditadura, e ninguém conseguiu reverter esse quadro; além disso, as universidades privadas, proibidas de ter lucro, ganham milhões graças à subvenção que recebem do Estado), e Piñera não teve idéia melhor que responder a eles dizendo ‘isso, todo mundo quer, mas nada é de graça nessa vida’.

Tudo isso acontece no momento em que se torna cada vez mais claro que o tão decantado modelo chileno, que deveria ser modelo para toda a América Latina – louvado pelos grandes organismos financeiros internacionais, pela direita em geral e pelos defensores do neoliberalismo em particular – revela sua verdadeira face.

Que o Chile vive um auge econômico, ninguém duvida. Mas os que se beneficiam dele estão longe de ser uma parcela ampla da população. Ao contrário: as desigualdades sociais são mais altas que a cordilheira dos Andes, mais evidentes que as montanhas nevadas e mais amplas que as grandes alamedas de Santiago.

De toda a riqueza produzida pelo Chile, 55% ficam nas mãos dos 20% mais ricos da população. Entre 2006 e 2009, a renda dos trabalhadores cresceu 1%. A dos mais ricos, 9%. Em 2006, 13,7% da população vivia na pobreza. Três anos depois, os pobres passaram a ser 15,1% – justamente no período em que a economia mais cresceu.

A estabilidade política fez do Chile o paraíso e a alegria dos investidores estrangeiros. Durante anos, o país foi considerado o mais perfeito modelo das bondades do neoliberalismo.

Ninguém parecia notar os casos de jovens que terminam a faculdade pública e depois levam dez anos pagando o financiamento que receberam para estudar. Ninguém notou o aumento da pobreza, os abismos sociais se abrindo cada vez mais.

É contra isso que os chilenos protestam. E também contra os engodos e miragens de um modelo que começou a ser desmascarado.

Por trás do louvado milagre existe uma verdade: a de uma segregação social perversa e persistente, que agora explodiu e chega às ruas e alamedas de Santiago.

Caso Derosso: Alguém que sabe o que diz…

Publicado em

Via Blog Lado B

A mulher do Derosso ensina: ‘Conhecer alguém pode ajudar na hora de conseguir um bom emprego’

LEIA MAIS

Mulher de Derosso pede afastamento de TV por problemas de saúde – Gazeta do Povo.

Após ter convocação aprovada, Cláudia Queiroz se afasta da E-Paraná (TV Educativa) – O Estado do Paraná.

João Cláudio Derosso, ao lado da esposa, Cláudia Queiroz Guedes, nomeada na TV Educativa pelo governador tucano Beto Richa (à direita).
%d blogueiros gostam disto: